Sistema SAF dialoga sobre as ações em conjunto para o fortalecimento da agricultura familiar

Acessar fotos
6/05/2022

Na manhã desta sexta-feira, 06, o secretário da SAF, Diego Rolim, reuniu-se com a presidenta da Agerp, Loroana Santana, com o presidente do Iterma, Anderson Ferreira e com as equipes técnicas dos órgãos para tratar sobre a integração das ações realizadas pelo Sistema da Agricultura Familiar (composto pela SAF, Agerp, Iterma). A reunião aconteceu no auditório da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar- SAF.

Na oportunidade, as equipes dialogaram sobre os gargalos, as interações e união de esforços na execução das ações, com destaque para as cadeias produtivas; o Maranhão Verde-eixo indígena; Garantia Safra, mercados institucionais e a execução do Cadastro Ambiental Rural, por meio do projeto Mais Sustentabilidade no Campo, além de outras ações que precisam ser executadas em conjunto.

O secretário Diego Rolim destacou a importância do trabalho em conjunto com os órgãos que compõe o Sistema SAF. “Somos servidores públicos e devemos prestar serviços de excelência para a população, que no nosso caso, são os agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais do Maranhão. Nesse sentido, precisamos oferecer assistência técnica de qualidade, regularização fundiária e desenvolver políticas públicas de qualidade para que os homens e mulheres do campo possam ter qualidade de vida. Esse objetivo só é possível se trabalharmos juntos”, enfatizou o secretário.

A presidenta da Agerp, Loroana Santana apresentou os trabalhos executados na área de assistência técnica e extensão rural pelos 19 escritórios Regionais, e destacou a importância do trabalho feito em parceria. “A união de esforços do Sistema da Agricultura familiar é de extrema importância porque vai beneficiar ainda mais nossos agricultores familiares”, pontuou.

Anderson Ferreira, presidente do Iterma frisou que a posse da terra e a regularização fundiária é o primeiro passo para que mais políticas públicas possam beneficiar quem vive da agricultura familiar. “Nós queremos que nossos agricultores tenham acesso à terra, mas também, possam produzir, comercializar e viver dignamente da agricultura familiar. Tudo isso só é possível com a união de forças do Sistema SAF e outros órgãos do Estado”, afirmou.