Governo do Maranhão divulga municípios beneficiados com o Programa Água Doce

Nesta última semana, a Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), em reunião com membros do Núcleo Estadual do Programa Água Doce, homologou as 30 comunidades que sofrem com problemas de água salobra ou salina e agora receberão sistema de dessalinização. Ao todo, 16 municípios serão beneficiados com o Programa Água Doce.

Com a execução do Programa, mais de nove mil pessoas serão beneficiadas com investimentos na ordem de R$ 9,4 milhões. A ação é do Ministério do Desenvolvimento Regional e executada pelo Governo do Maranhão por meio da SAF.

Os municípios contemplados foram: Afonso Cunha, Água Doce, Aldeias Altas, Araioses, Buriti, Caxias, Chapadinha, Codó, Coroatá, Duque Bacelar, Itapecuru, Pirapemas, São João do Sóter, Timbiras, Timon, Vargem Grande.

Durante a reunião de homologação a coordenadora do Programa Água Doce, Railda Pascoal, apresentou as comunidades selecionadas e explicou que o programa é destinado para comunidades rurais que tem poços com problemas de água salobras ou salinas. Além disso, as comunidades selecionadas obedeceram a padrões técnicos, que incluiu desde fatores socioambientais até os testes de vazão dos poços.

Para o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Júlio César Mendonça, o programa oferece qualidade de vida para as famílias.

“O sistema de dessalinização dispõe de tecnologia que além de retirar o sal da água, retira também bactérias, vírus, metais pesados, agrotóxicos. Dessa forma, nós estaremos oferecendo à população uma água de ótima qualidade e isso tem um impacto grande na saúde das pessoas”, frisou Júlio César Mendonça.

Participaram da reunião: representantes da SAF, da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Cocais; das secretarias de Estado das Cidades (Secid), de Desenvolvimento Social (Sedes), de Meio Ambiente (SEMA), de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), de Comunicação e Articulação Política (Secap), Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea-MA), UFMA, UEMA, Articulação Semiárido Brasileiro (ASA-MA) e Caema.

Texto: Claudilene Maia.