Acesso à terra garante renda e sucessão rural a agricultores familiares em Lago dos Rodrigues

Agricultora Maria de Lourdes apresenta a produção que cultiva em sua propriedade

Agricultora Maria de Lourdes apresenta a produção que cultiva em sua propriedade

O acesso à terra é o primeiro passo para o desenvolvimento da agricultura familiar e, consequentemente, para a geração de trabalho e renda de quem vive no campo. Na ausência dessa política pública tão importante, muitos agricultores buscam a realização de seus sonhos nos grandes centros urbanos, ocasionando o êxodo rural.

Na perspectiva de buscar uma vida melhor, o casal de agricultores familiares Francisco de Assis da Silva, 34 anos, e sua esposa Maria de Lourdes da Silva, 29 anos, do município de Lago dos Rodrigues, decidiram ir embora para São Paulo à procura de uma vida melhor. Mas perceberam que o lugar deles era trabalhando na terra.

“Passamos oito anos em São Paulo. Nesse tempo eu notei que lá não era meu lugar, meu lugar é aqui trabalhando com a terra. O sonho que eu fui buscar em São Paulo e não consegui, quando voltei, em menos de três anos, eu realizei, que foi a casa própria”, contou, Francisco de Assis.

 

Família de agricultores colhe feijão na terra conquistada com apoio do Governo do Estado

Família de agricultores colhe feijão na terra conquistada com apoio do Governo do Estado

O agricultor ressaltou que o acesso à terra foi fundamental para a permanência de sua família no campo. “Uma conquista muito importante, que nos ajuda a permanecer no campo e desenvolver a agricultura familiar, que é o que a gente ama, foi o apoio do Governo do Estado na conquista da terra pelo Crédito Fundiário. É daqui da terra que tiramos nosso sustento e nossa renda”, declarou o agricultor.
Assim como o casal Francisco e Lourdes, 30 famílias da comunidade Boa Vista dos Filós, município de Lago dos Rodrigues, foram beneficiadas com 307 hectares de terra, no âmbito do Programa Nacional do Crédito Fundiário (PNCF). A entrega da escritura da terra foi realizada pelo governador Flávio Dino em fevereiro deste ano. Na ocasião, agricultores familiares dos municípios de Lagoa Grande, Lago da Pedra, São José dos Basílios e Tuntum também receberam suas escrituras.

O secretário de Estado da Agricultura Familiar, Júlio Mendonça, enfatizou que o Programa garante o acesso à terra e inclusão socioprodutiva dessas famílias. “A nossa base está na terra, na produção, na agricultura. Esse é o nosso tesouro. Sobre essa base é que temos conseguido avançar na perspectiva do desenvolvimento do Maranhão, oportunizando ao agricultor familiar condições digna para viver, evitando, assim, o êxodo rural”.

Produção de mandioca cultivada de forma familiar

Produção de mandioca cultivada de forma familiar

Júlio Mendonça enfatizou a parceria do Governo do Estado com entidades e movimentos sociais, como a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras do Estado do Maranhão (Fetaema) e os Sindicatos dos Trabalhadores Rurais. “O fortalecimento da dimensão coletiva e dos movimentos sociais do campo são fundamentais na construção dessas políticas de incentivo à produção”, pontuou.

A Unidade Técnica Estadual (UTE) da SAF é responsável pela execução do PNCF no Maranhão. A Unidade faz a intermediação entre os associados e o proprietário da terra, avalia a área da propriedade, destacando as características do solo, localização, a produtividade da terra, aspectos ambientais, sociais e jurídicos.

 

PNCF

O PNCF é um programa do Governo Federal de acesso à terra e inclusão socioprodutiva, executado em parceria com o Governo do Estado. A garantia da terra é feita por meio do financiamento ao amparo do Fundo de Terras e da Reforma Agrária. No Maranhão, o programa conta com a parceria do movimento sindical.